VOCÊ SABE ADMINISTRAR SEU CONSULTÓRIO?

O atual cenário vem revelando mudanças na forma como nos relacionamos, vendemos ou compramos serviços e produtos, adquirimos conhecimento, atendemos nossos clientes, enfim… E a tendência é que essas transformações aconteçam cada vez mais rápido daqui para frente, o que vai exigir uma habilidade especial para administrar os negócios. E para qualquer profissional liberal da área da saúde, o seu consultório ou clínica é o seu negócio!

Pesquisa recente feita pela Resolvve revelou que mais de 82% dos profissionais liberais administram seu próprio consultório, sendo que 30% deles gastam de duas a até cinco horas por mês em atividades administrativas e outros 30% nem fazem ideia de quanto tempo investem nessas funções. Isso revela uma realidade muito comum neste meio: psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos entre outros profissionais da saúde não sabem e/ou não têm tempo para gerir seu próprio negócio. E fazer isso bem reduz desperdício, perdas e, consequentemente, aumenta a produtividade e a qualidade do atendimento aos seus clientes. Ou seja, atende-se mais e melhor!

E o que significa administrar um consultório?

De maneira objetiva, significa planejar, organizar, coordenar e controlar as tarefas visando alcançar produtividade, bem-estar e lucratividade, além de outros objetivos e metas que podem ser definidos por você para o seu negócio. Uma boa administração requer um conhecimento interdisciplinar, pois envolve áreas como a Contabilidade, Economia, Direito, Matemática, Estatística, Informática entre outras. Para sentir como é isso na prática, a gestão de um consultório envolve:

Atendimento ao cliente:

Exige habilidade de comunicação para informar dias e horários de consultas, valor e formas de pagamento; saber cobrar pelo seu serviço; estabelecer e comunicar a política de atraso; além de habilidade para encantar o seu cliente e fazê-lo voltar mais vezes (gerar fidelização).

Recursos materiais:

O que você precisa para executar seu trabalho? Papel, caneta, telefone, impressora, mesa, cadeira, sofá… Você vai precisar comprar e/ou fazer manutenção desses recursos e, para isso, vai pesquisar preços, fazer orçamentos, contatar fornecedor, gerir as finanças… E aí vem o ponto a seguir.

Conhecimento de todos os custos (fixos e variáveis):

Quanto você gasta para manter seu consultório? Muitos profissionais liberais não sabem! Custos com telefonia, aluguel de espaço, condomínio, luz, internet, faxina, fornecedores, investimento em marketing… O que mais? Ter tudo isso “na ponta do lápis” faz toda a diferença.

Uso de tecnologias:

Agora, mais do que nunca, seu consultório vai precisar investir e gerir recursos tecnológicos – Skype; Zoom Meeting; WhatsApp; Redes Sociais; e há, ainda, quem opte por investir em softwares de gestão e relacionamento.

Há mais questões a serem administrados no dia a dia de um consultório que não caberia citar aqui. Percebeu como não é tão simples assim? A forma como é feita essa gestão determina se vai, ou não, atingir os objetivos propostos e ainda contribui, de maneira significativa, na formação de preço do seu serviço. Portanto, tem um forte impacto sobre o desempenho do seu consultório e, consequentemente, sobre o seu valor. Considerando isso, alguns profissionais liberais optam por terceirizar as funções administrativas a fim de obter mais assertividade e lucratividade (a Resolvve tem como apoiá-lo nisso!).

E para quem segue no desafio diário de gerir o próprio consultório, é importante entender, primeiramente, que ele não é uma máquina. Se fosse, bastaria apertar alguns botões e tudo funcionaria perfeitamente. Então, para ajudá-lo nessa tarefa, sugerimos acompanhar o nosso blog, porque nas próximas semanas postaremos algumas dicas práticas de como fazer a gestão do seu consultório!

Fechar Menu

Não encontrou o material
que gostaria?

Cadastre seus dados abaixo e receba novos conteúdos sobre gestão financeira.